HU da UEL poderá ter 120 leitos extras para tratamento do Covid-19

Read Time:5 Minute, 15 Second
Será utilizado a nova Maternidade

O Governo do Paraná aprovou a liberação de R$ 10 milhões para o Hospital Universitário (HU) da UEL estruturar 120 leitos extras para tratamento exclusivo de pacientes acometidos pelo Coronavírus nos próximos quatro meses. Os recursos deverão ser utilizados juntamente com um crédito adicional de R$ 5 milhões que poderão ser repassados pela Câmara de Vereadores de Londrina, para custeio de despesas de combate à pandemia. A Câmara deve apreciou ontem (08), projeto de Lei autorizando o recurso para a estruturação do Hospital de Campanha no HU.

Os recursos da ordem de R$ 15 milhões servirão para equipar a nova Maternidade e parte do novo Pronto Socorro do HU, obras já concluídas e que serão disponibilizadas para a estruturação de um Hospital de Campanha de uso exclusivo de pacientes com Coronavírus, durante os próximos quatro meses. Os recursos estaduais foram confirmados pelo próprio governador Ratinho Junior e pelo Secretário Estadual de Saúde do Paraná, Beto Preto, ao vice-líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado estadual Tiago Amaral, na noite da última terça-feira (07/04).

A autorização ocorreu após a Universidade, por meio do Hospital Universitário, enviar ofício ao governo solicitando autorização para a utilização de 100 novos leitos da Maternidade Municipal, um espaço físico de 5 mil metros quadrados, devidamente concluídos e que aguardava a entrega oficial. O mesmo documento também solicitou autorização para o incremento de 20 novos leitos do novo Pronto Socorro do hospital.

De acordo com o ofício encaminhado na última segunda-feira (06), a direção do HU informou detalhes do trabalho que está sendo realizado para o combate à pandemia em Londrina e região. Segundo o documento, o HU conta com 297 leitos e está ativando outros 36. Deste total, 10 já estão em pleno funcionamento. Existem ainda 40 em retaguarda para atendimento exclusivo do Coronavírus, em consonância ao Plano de Contingência estabelecido pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

O ofício listou ainda a necessidade de aquisição de materiais e equipamentos como aspiradores portáteis, camas, fluxômetros, ventiladores pulmonares, desfibriladores, computadores e outros, totalizando R$ 2,5 milhões. Ainda conforme a solicitação encaminhada ao governo, para tocar o Hospital de Campanha pelos próximos quatro meses, serão necessários outros R$ 2,5 milhões/mês para a contratação de 247 profissionais entre enfermeiros, auxiliares, técnicos e médicos de várias especialidades que se revezarão em escala de plantão durante 24 horas.

O reitor da UEL, Sérgio Carvalho, ressaltou que a Universidade colocou à disposição do Governo do Estado, da Secretaria Estadual de Saúde e do município de Londrina todas as possibilidades de atuação, por meio do Hospital Universitário, para atendimento da população. De acordo com o reitor, o planejamento das ações acabou identificando que o recém construído edifício da nova maternidade poderia ser utilizado para atendimento dos casos de COVID 19 de modo emergencial. Ele explica que, a partir dessa constatação, a UEL fez o encaminhamento de ofícios indicando as possibilidades para a SESA e a Superintendência Estadual de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia (SETI). Também foi informado o Grupo de trabalho junto à prefeitura de Londrina, o Centro de Operações de Emergência (COE) e a 17a Regional de Saúde.

“É uma junção de esforços. Diversos atores políticos, deputados e órgãos públicos estão empenhados na viabilização dos recursos e condições materiais para que todo esse planejamento saísse do papel. Estamos considerando a disponibilização de espaço físico, mas também a contratação de pessoal para que o serviço seja oferecido com qualidade, atendendo a emergência que estamos vivenciando”, destacou o reitor.

O Secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, afirmou que o bloco da nova Maternidade do HU tem sido objeto de estudo para que o Governo possa adquirir os insumos necessários para estruturação da unidade. “Essa situação emergencial nos leva à decisão de colocar pacientes oriundos desta pandemia, já que estamos diante de uma grande necessidade”. Ele destacou a postura democrática da Assembleia, representada pelo deputado Tiago Amaral, da Câmara de Vereadores e da UEL, que resultou em uma solução para fazer frente à uma emergência, verdadeira calamidade pública. “O governo se sente satisfeito com esta parceria, usando a estrutura do HU”, destacou ele, salientando o trabalho feito pelas equipes de saúde.

Na avaliação do deputado estadual Tiago Amaral a ideia de estruturar o Hospital de Campanha surgiu há duas semanas. Com essa liberação de recursos, ele acredita que Londrina passa a ter uma das principais estruturas para o enfrentamento da Covid 19. Ele destacou que são R$ 15 milhões, contando com a participação da Câmara de Londrina, para o atendimento emergencial da população. Ele destacou também que a junção de esforços considerou a referência da UEL, o apoio do Governo e a competência do HU e do Legislativo Municipal, que resultaram em um grande ganho para a população.

“Conduzimos a operacionalização dos R$ 10 milhões pelo secretário de Saúde, Beto Preto. Com a maior parte do investimento garantido, faltavam os R$ 5 milhões que buscamos junto à Câmara de Vereadores de Londrina”, destacou o parlamentar, salientando que o objetivo maior é salvar vidas.

A diretora superintendente do HU, Vivian Feijó, ressaltou que a UEL e o hospital fazem parte da cidade e, dessa forma, buscam honrar as demandas regionais, como é o caso do atendimento emergencial para conter o Coronavírus. Ela ressaltou que espera uma resposta rápida por parte do Legislativo Municipal, da mesma forma que o Governo Estadual atendeu o ofício encaminhado pela Universidade e HU em um prazo de apenas 48 horas.

“Eu espero que os vereadores possam aprovar esse projeto de forma ágil para que possamos envidar esforços e essa estrutura se torne uma realidade para a população de Londrina. Quero garantir que nosso objetivo é honrar cada centavo para devolver com prestação de serviços e vidas salvas”, considerou Vivian.

Mais recursos – além dos recursos liberados para a estruturação do Hospital de Campanha, já foram viabilizados para o HU outros R$ 3 milhões junto ao Governo Estadual por meio de alterações orçamentárias e mais R$ 3,8 milhões de suplementação orçamentária (Decreto nº 4.437). O total de R$ 6,8 milhões será destinado para compra de equipamentos e para custeio de 36 novos leitos de UTI para atendimento ao enfrentamento da pandemia. Também foram entregues recentemente dez conjuntos de equipamentos para leitos de tratamento intensivo (UTI).

Fonte: Agência UEL

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Previous post PCPR descobre laboratório de ecstasy e apreende mais de 200 mil comprimidos da droga
Next post Ministério da Saúde adquire 6,5 mil respiradores fabricados no Brasil