Londrina: Fundo de Proteção aos Animais garante doação de ração

Read Time:4 Minute, 11 Second

Foram investidos R$ 70 mil para a compra de nove toneladas de ração. O recurso advém do Fundo Municipal de Proteção aos Animais (FUPA)

Para ajudar as organizações sem fins lucrativos e também os protetores independentes de animais a manterem os atendimentos realizados, a Prefeitura  de Londrina intermediou a doação de três toneladas de ração para a Associação Defensora dos Animais (ADA) e entregará mais seis toneladas à Organização da Sociedade Civil de Interesse Público SOS Vida Animal durante este mês.  Os R$ 70 mil investidos são do Fundo Municipal de Proteção aos Animais (FUPA), constituído por recursos advindos de multas pagas por quem maltrata animais e por emendas parlamentares.

A destinação dos recursos foi possível após instrução do Tribunal de Contas do Estado e aprovação pelos membros do Conselho Municipal de Proteção e Defesa aos Animais (COMUPDA). “As nove toneladas de ração foram divididas de forma igualitária entre o número de animais cuidados pela ADA e pelos protetores da SOS Vida Animal. Elas servirão para ajudar na manutenção dos cães durante esse período de quarentena, em que acreditamos que haverá uma diminuição de alimentos arrecadados pelas ONGs”, explicou a diretora de Bem-Estar Animal da SEMA.

Além dessa doação, a intenção da Prefeitura de Londrina é continuar auxiliando as entidades sem fins lucrativos durante o ano inteiro, com doações para cães e gatos filhotes e adultos. Seguindo a recomendação do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE/PR), a Prefeitura está autorizada a doar às entidades sem fins lucrativos, que cuidarão dos seus animais próprios, bem como utilizarão o cadastro dos voluntários independentes.

A primeira entidade sem fins lucrativos a receber a doação foi a ADA, que abriga cerca de mil animais. Os cuidadores receberam 206 pacotes de 15 quilos de ração, na manhã de ontem (06/04), na própria sede do abrigo de animais. Na próxima segunda-feira (13/04), das 14h às 18h, e na terça-feira (14/04), das 8h às 12h, serão distribuídas mais seis toneladas de ração. Elas serão doadas para a SOS Vida Animal. Esta OSCIP destinará a doação para aproximadamente 100 protetores independentes, visto que ela não conta com um abrigo como tem a ADA. Juntos os protetores cuidam de cerca de 2 mil animais recolhidos das ruas.

Devido à grande quantidade de protetores que receberão as doações, a Secretaria Municipal de Ambiente (SEMA) vai montar um sistema drive-thru no estacionamento do Parque Arthur Thomas. Para isso, os cuidadores dos animais já estão sendo avisados pela SOS Vida Animal sobre o dia e o horário correto que devem ir buscar os mantimentos. A expectativa é entregar 412 pacotes de 15 quilos de ração nos dois dias da semana que vem. No local, haverá a conferência dos protetores, que assinarão o requerimento assim que receberem as doações.

O alimento comprado pela Prefeitura é uma ração chamada de Super Premium. Ela é considerada de ótima qualidade, pois possui alto teor proteico e todos os nutrientes essenciais para a saúde animal, como os aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas e minerais. Com ela é necessária uma porção menor para nutrir mais os animais. Este mesmo alimento é destinado aos cães da Guarda Municipal de Londrina (GM).

Política Pública – Esta é a primeira vez que o Município de Londrina conta com uma política pública que cuida do bem-estar animal. Em novembro de 2017, o prefeito Marcelo Belinati encaminhou o Projeto de Lei (PL) para a criação do Fundo Municipal de Proteção aos Animais (FUPA) e do Conselho Municipal de Proteção e Defesa aos Animais (COMUPDA) e, em maio de 2018, Marcelo assinou a Lei 12.695 instituindo estes órgãos. Assim, foi possível dar início a uma política pública de bem-estar animal que não dependerá da vontade política de outros governamentais, mas sim do cumprimento da legislação vinculada à área.

“Nós víamos que as ONGs sempre precisavam de auxílio, mas não tinha uma diretoria específica para cuidar disso e não havia legislação para regulamentar os serviços. Com a criação de uma política pública de bem-estar animal na SEMA, começou-se a olhar para os animais de uma forma sensível, criou-se o conselho e o fundo municipal para deliberar recursos e coordenar projetos em benefício da causa animal. Em 2019, foi realizado o pregão respeitando todos os prazos legais, e agora está se consolidado a política pública”, ressaltou Ontivero.

Como ajudar – o cidadão que quiser ajudar as entidades sem fins lucrativos pode entrar em contato com a ADA e com a SOS Vida Animal. Mais informações podem ser obtidas no site da SOS Vida Animal  e na página do Facebook da ADA. As entidades contam com as doações para manter funcionando seus serviços. Elas precisam de alimentos para os animais e têm despesas mensais com produtos de limpeza, contas de água e energia elétrica, pagamento de veterinários e medicamentos quando necessário. Aqueles que não puderem ajudar financeiramente, mas puderem adotar um animal também são bem-vindos.

Fonte: Prefeitura de Londrina

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Previous post Maringá: ex-prefeito é multado e município recebe recomendação
Next post Maringá: Havan, é multada em R$ 38 mil