Trabalho do Controle de Endemias de Arapongas é referência na região

Read Time:2 Minute, 30 Second

O município de Arapongas deve encerrar 2019 como referência regional no combate ao mosquito Aedes aegypti. Dos 231 casos notificados no período 2014/2015, Arapongas conseguiu baixar para apenas 7 casos no período 2018/2019. Em comparação com outros municípios da região, trata-se de uma conquista importante, levando-se em conta que também em 2018/2019 Apucarana apresentou 141 casos, Londrina 1.524 e Maringá 836. “O que estamos vendo aqui é o resultado de um trabalho que reuniu o poder público e as entidades, com o apoio da sociedade. Importante destacar o fato de a administração municipal ter dado toda a autonomia e ter feito deste setor uma de suas prioridades”, afirmou Valdecir Pardini, coordenador do Controle de Endemias.

Ele apresentou um balanço dos trabalhos do setor, durante solenidade realizada na manhã desta terça-feira (26), na Escola Municipal Professora Heloísa Giancristófaro. O evento também foi marcado pela apresentação de três projetos que foram destaque no meio estudantil de Arapongas ao longo de 2019: o Cinema da Dengue, a Escola de Pais e a União Faz a Vida, este em parceria com o Sicredi. Pardini lembrou que em 2017, início da atual gestão, o Controle de Endemias trabalhava com apenas 23 agentes, o que tornava impossível combater o mosquito Aedes, transmissor de várias viroses que podem levar a óbito ou deixar sequelas graves. “Quando recebi o convite do prefeito Sérgio Onofre para assumir a gerência, pensei nas consequências, mas aceitei diante da certeza que ele nos deu, de que teríamos autonomia para reestruturar totalmente os serviços. O trabalho foi intenso, mas está aí o resultado”, ressaltou Pardini.

Hoje o Controle de Endemias trabalha com 70 agentes, distribuídos da seguinte forma: 56 agentes setorizados, que realizam em média 1.680 visitas domiciliares diárias; um supervisor geral; uma equipe formada por três agentes que monitoram quinzenalmente todos os pontos estratégicos (borracharias, ferros velhos, catadores e acumuladores de recicláveis e cemitério); um supervisor para ações que envolvem inseticida, um digitador, uma equipe de educação composta por dois agentes com formação superior e um auxiliar geral.

“Contra fatos não há argumentos. Os números mostram que o trabalho desta equipe serve como referência para todos os municípios que pretendem fazer do combate ao mosquito não apenas um trabalho, mas uma missão para salvar vidas”, afirmou o secretário de Administração, Valdecir Scarcelli, que representou o prefeito Sérgio Onofre no evento. Marcos Costa, da 16ª. Regional de Saúde, também destacou a posição de Arapongas. “É a cidade que tem o maior número de agentes de endemias contratados pelo município. Aqui o setor tem apoio e sabe empregar isso muito bem”, resumiu.

Após o evento, a diretora Márcia Musset convidou a todos para visitarem uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos. Também estiveram presentes os secretários da Segurança, Paulo Sérgio Argati, e Meio Ambiente, Renan Manoel, além de Sandra Onofre, que responde interinamente pela Secretaria da Saúde, da gerente da Vigilância Epidemiológica, Fernanda Gollas Trombini, e representantes do Sicredi e de outras entidades.

Fonte: Prefeitura de Arapongas

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
Previous post Arapongas: 18 Horas farão atendimentos de vacinação nos dias 28 e 29
Next post Arapongas: Com apoio de Lupion, garante R$ 1 milhão para construir dois Centros do Idoso